quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Luta

"Cantar a beleza de ser um eterno aprendiz..."

Dia cheio. Ela luta muito. Mata um leão por dia. Se desespera quando não vê saída imediata.
Filhos. Amor sem fim. Trabalho ininterrupto. Preocupação constante. Solidão. Mas (sempre tem um "mas"), quando tudo parece acabado, derrotado, a vida a presenteia com alguma novidade boa.

Hoje é dia de agradecer. A Deus, a ela, a quem a ama.

Outro trecho musical maravilhoso:

"Quando chega o fim da linha e já não há aonde ir
Num passe de mágica a vida nos traz sonhos pra seguir
Queima meus navios, vem me superar
Às vezes pedindo que ela vem nos dar o melhor de si"

Honestidade, amor aos filhos, luta constante. Nada disso é passado despercebido pelo lá de cima.

Hoje é dia de agradecer. A Deus, a ela, a quem a ama.

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Duas trilhas... sonoras...

Tô Voltando
Simone
Composição: Paulo César Pinheiro e Maurício Tapajós

Pode ir armando o coreto
E preparando aquele feijão preto
Eu tô voltando
Põe meia dúzia de Brahma pra gelar
Muda a roupa de cama
Eu tô voltando
Leva o chinelo pra sala de jantar
Que é lá mesmo que a mala eu vou largar
Quero te abraçar, pode se perfumar
Porque eu tô voltando

Dá uma geral, faz um bom defumador
Enche a casa de flor
Que eu tô voltando
Pega uma praia, aproveita, tá calor
Vai pegando uma cor
Que eu tô voltando
Faz um cabelo bonito pra eu notar
Que eu só quero mesmo é despentear
Quero te agarrar
Pode se preparar porque eu tô voltando

Põe pra tocar na vitrola aquele som
Estréia uma camisola
Eu tô voltando
Dá folga pra empregada
Manda a criançada pra casa da avó
Que eu to voltando
Diz que eu só volto amanhã se alguém chamar
Telefone não deixa nem tocar
Quero lá, lá, lá, ia, porque eu to voltando!

Ainda Bem
Vanessa Da Mata
Composição: Liminha/Vanessa da Mata

Ainda bem
Que você vive comigo
Porque senão
Como seria esta vida?
Sei lá, sei lá

Nos dias frios em que nós estamos juntos
Nos abraçamos sob o nosso conforto
De amar, de amar

Se há dores tudo fica mais fácil
Seu rosto silencia e faz parar
As flores que me manda são fato
Do nosso cuidado e entrega
Meus beijos sem os seus não dariam
Os dias chegariam sem paixão
Meu corpo sem o seu uma parte
Seria o acaso e não sorte

Nesse mundo de tantos amores
Entre tantos outros
Que sorte a nossa hein?
Entre tantas paixões
Esse encontro
Nós dois, esse amor.

Entre tantos outros
Entre tantos anos
Que sorte a nossa hein?
Entre tantas paixões
Esse encontro
Nós dois, esse amor
Entre tantas paixões
Esse encontro
Nós dois, esse amor.

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Força-Potência

Reflexão... (com cortes de censura)

Acho que pode ser chamada força-potência. É como força-tarefa ou força-estratégia.
(A nova regra gramatical ainda me permite estes hífens? Se não permitir, vira palavrainventada.)
O que nos faz causar devastações? O que faz mexer com a energia alheia? Causa-efeito, Verdade-consequência, choques da vida.
A etapa agora é outra. Mais um passo dado rumo ao desconhecido. Ser feliz é a palavra de ordem.
Amadurecimento. Outra palavra importante. O furacão passou e deixou várias lições de vida.
Se alguém ler esta palavralida poderá fazer dela palavrasonhada, palavraouvida, palavrachorada ou palavranãoentendida.
A mente aquariana não tem muito sentido de individualidade, de unidade. Talvez esta tenha sido uma das lições. O coletivo às vezes é prejudicial, principalmente em momentos-limite.
A calmaria, paz, o afeto e o carinho desinteressado teve aos olhos do mundo efeito contrário e, inacreditavelmente, manteve intacto o interior.
É muito importante:
- agradecer os momentos;
- perceber a experiência;
- entender as diversas reações;
- desculpar pelas feridas causadas; e
- seguir adiante.
Fique sempre bem. É o que desejo. A mim, a você e a todos.

DEFINIÇÕES - Só pra esclarecer


Julgamento
1 Ação ou resultado de julgar, de formar opinião sobre algo

2 Jur. Processo de apreciação e decisão de uma questão levada a um juizado

3 Jur. Sessão em que se realiza esse processo; AUDIÊNCIA: Depois do recesso, o julgamento passará à fase final.

4 Jur. A decisão final de um juiz ou de um júri; DELIBERAÇÃO; SENTENÇA; VEREDICTO.: O julgamento foi favorável ao réu.
[F.: julgar + -mento]
Julgamento prejudicial
1 Bras. Jur. No processo civil, aquele prévio da ação penal, e que pode prejudicar a ação reparatória do dano causado pelo crime em julgamento. Tb. apenas prejudicial

Hum... Bem.... A palavra definitivamente está errada, depois de lidas as definições. Passemos à outra:

Preconceito
1 Opinião ou idéia preconcebida sobre algo ou alguém, sem conhecimento ou reflexão; PREJULGAMENTO: "...existia algo no mundo que tornasse compulsório ou indispensável ter uma vocação? Positivamente não, trata-se de um mero preconceito." (João Ubaldo, Diário do farol.)

2 Atitude genérica de discriminação ou rejeição de pessoas, grupos, idéias etc., em relação a sexo, raça, nacionalidade, religião etc. (preconceito racial); INTOLERÂNCIA

3 Idéia ou juízo fundado em crendices e superstições; CISMA: Era um homem cheio de preconceitos irracionais.
[F.: pré - + conceito]

Ah! Sim... Prejulgamento. Uma palavra fundida na outra.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Palavraouvida

"Que a vida é mesmo coisa muito frágil, uma bobagem, uma irrelevância..."


O que confunde tudo, atrapalha mesmo, são os valores distintos das pessoas. Lidar com valores alheios é complicado, a não ser que tenhamos evolução suficiente para aceitá-los, sem julgamentos. Ops! Já aprendi: prejulgamentos. Palavra errada é proibido!

Beijos

Um pouco de música

Onde Deus Possa Me Ouvir
Vander Lee

Sabe o que eu queria agora, meu bem...?
Sair chegar lá fora e encontrar alguém
Que não me dissesse nada
Não me perguntasse nada também
Que me oferecesse um colo ou um ombro
Onde eu desaguasse todo desengano

Mas a vida anda louca
As pessoas andam tristes
Meus amigos são amigos de ninguém.

Sabe o que eu mais quero agora, meu amor?
Morar no interior do meu interior
Pra entender porque se agridem
Se empurram pro abismo
Se debatem, se combatem sem saber

Meu amor...
Deixa eu chorar até cansar
Me leve pra qualquer lugar
Aonde Deus possa me ouvir

Minha dor...
Eu não consigo compreender
Eu quero algo pra beber
Me deixe aqui pode sair.
Adeus...
=============
Esta dispensa palavras...

Campanha pela vida

Campanha pela vida - cada um cuida da sua - PARTICIPE!
Adorei!

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

OS IRMÃOS KARAMÁZOV


Ele sempre... o melhor. Dostoievski nos brinda aqui com sua obra-prima, sem dúvida. Narra a saga de três irmãos absolutamente diferentes na superfície, mas com a raiz paterna entranhada em sua essência, mostrando assim formas de dicotomia na natureza humana.

O texto denso de Dostoievski chega a ser absurdo neste livro. Personagens simples, com questões distintas, conseguem ser de uma complexidade individual total, mas sempre com o "temperamento e sangue karamazoviano" como elo do início ao fim.

Aliás, todos os personagens têm papel preponderante e conseguimos vislumbrá-los com clareza. A temática religiosa está presente o tempo inteiro, evidenciando o conhecimento profundo e fé católica do autor.

Ler Irmãos Karamázov é passear no centro do humano.
Tradutor: BEZERRA, PAULO
Ilustrador: BOSCOLO, ULYSSES
Autor: DOSTOIEVSKI, FIODOR
Editora: EDITORA 34
Assunto: LITERATURA ESTRANGEIRA - ROMANCE
Preço: 98,00
2 VOLUMES

Beijos!

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Vírgula

Pronto. Agora estou absolutamente preenchida. Ganhei um lindo poema, da minha querida amiga Mariana, feito por ela pensando em mim.

Vírgula

Não me toca.
Não se atreva, não fala.
Não pergunta.
Principalmente,
não provoca.
Estou em carne viva.

Não me toca.
Não me cobra, pára.
Não assunta.
Pacientemente,
me reserva.
Estou, em carne, viva.

Não me toca!
Não se move, não sai!
Não disjunta...
Secretamente,
me degusta.
Estou em carne, viva.

Beijo, minha querida!

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

A explicadora do desencarceramento

Você já teve alguém na vida, um amigo, amante, alguém da família que põe a palavra pra fora por você? Alguém que sabe o que você pensa-mas-não-fala, e expõe o verbo pra te aliviar? Meu amigo, isso não tem preço. Espero muito que um dia você encontre essa pessoa. Coloco aqui um texto feito por um ser humano sensível e inacreditavelmente afinado com meus pensamentos e sentimentos.
(texto produzido em uma quinta-feira - 12 de junho de 2008)

Blá blá blá
(Sylvia Araújo)

Não gosto que me sinalizem que não faço sentido - posso não fazer pra você, mas aqui dentro, cada coisa tem seu cativo lugar, sim, senhor!
Não gosto que ignorem meu coração.
Não gosto que desrespeitem meus sentimentos.
- Procure ouvir mais, compreender mais, julgar menos. Dica das boas! ;o)

Blá, blá, blá quem faz é vácuo. E eu sou cheia, meu bem: de vida, de arte, de fôlego - Corro maratona de pensamento e pulo obstáculos como ninguém! (É bom acreditar. Humrum)

Blá blá blá é coisa nenhuma, é desimportância, desadereçamento. E eu, ainda bem, hoje sei que sou alguém, chéri!
Tô cansada de tanto encarcerar o verbo!
- Revolução, já!

Da arte de desencarcerar o verbo

Começou há pouco. Pouco menos que 1 ano.
Para alguém introspectivo, que silencia suas mais íntimas questões, o desencarceramento é um passo enorme. Não. É um salto em queda livre.

Mudar o status "mudez" para "desencarceramento de verbo" custa muita coisa. Insônia, falta de fome, muitas dores de cabeça. Mas quando se consegue, a sensação de liberdade é avassaladora.

E olha que ainda não sou expert nessa arte. A modalidade ainda me custa uns engasgos. Mas aos poucos, devagar, o verbo vai se desencarcerando, primeiro numa gagueira só, depois a palavra vai tomando forma.

Percebo que o melhor de tudo é adequar o desencarceramento à serenidade, ou seja, saber usar a palavra com temperança.

Agradeço, tanto à pessoa que me ensinou a usar o verbo quanto à que me obrigou a desencarcerar.

Beijos!