quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Da arte de desencarcerar o verbo

Começou há pouco. Pouco menos que 1 ano.
Para alguém introspectivo, que silencia suas mais íntimas questões, o desencarceramento é um passo enorme. Não. É um salto em queda livre.

Mudar o status "mudez" para "desencarceramento de verbo" custa muita coisa. Insônia, falta de fome, muitas dores de cabeça. Mas quando se consegue, a sensação de liberdade é avassaladora.

E olha que ainda não sou expert nessa arte. A modalidade ainda me custa uns engasgos. Mas aos poucos, devagar, o verbo vai se desencarcerando, primeiro numa gagueira só, depois a palavra vai tomando forma.

Percebo que o melhor de tudo é adequar o desencarceramento à serenidade, ou seja, saber usar a palavra com temperança.

Agradeço, tanto à pessoa que me ensinou a usar o verbo quanto à que me obrigou a desencarcerar.

Beijos!
Postar um comentário