sexta-feira, 31 de julho de 2009

Oração ao Tempo


Oração ao Tempo
(Caetano Veloso)


És um senhor tão bonito
Quanto a cara do meu filho
Tempo tempo tempo tempo
Vou te fazer um pedido
Tempo tempo tempo tempo...

Compositor de destinos
Tambor de todos os ritmos
Tempo tempo tempo tempo
Entro num acordo contigo
Tempo tempo tempo tempo...

Por seres tão inventivo
E pareceres contínuo
Tempo tempo tempo tempo
És um dos deuses mais lindos
Tempo tempo tempo tempo...

Que sejas ainda mais vivo
No som do meu estribilho
Tempo tempo tempo tempo
Ouve bem o que te digo
Tempo tempo tempo tempo...

Peço-te o prazer legítimo
E o movimento preciso
Tempo tempo tempo tempo
Quando o tempo for propício
Tempo tempo tempo tempo...

De modo que o meu espírito
Ganhe um brilho definido
Tempo tempo tempo tempo
E eu espalhe benefícios
Tempo tempo tempo tempo...

O que usaremos pra isso
Fica guardado em sigilo
Tempo tempo tempo tempo
Apenas contigo e comigo
Tempo tempo tempo tempo...

E quando eu tiver saído
Para fora do teu círculo
Tempo tempo tempo tempo
Não serei nem terás sido
Tempo tempo tempo tempo...

Ainda assim acredito
Ser possível reunirmo-nos
Tempo tempo tempo tempo
Num outro nível de vínculo
Tempo tempo tempo tempo...

Portanto peço-te aquilo
E te ofereço elogios
Tempo tempo tempo tempo
Nas rimas do meu estilo
Tempo tempo tempo tempo...

======================
Impossível definir, para mim pelo menos, qual seria a obra-prima deste homem.
Mas hoje, lembrando desta música, penso na genialidade do cara e em como ele pode nos traduzir desejos e sentidos.

Meu tempo. Peço-te aquilo e te ofereço elogios. E quando eu sair para fora do teu círculo, não tereis nem terás sido. Estaremos quites.
Obrigada, Caetano, por nos emprestar sua rima.

Bom final de semana a todos. Beijos!

segunda-feira, 27 de julho de 2009

O ladrão de palavras



Outro dia pesquei este livro da biblioteca do meu filho, herança de muitos livros infantis doados pela querida Tia Mari Blanc e sua estante Blanc, por causa do título.

É um livro infantil engraçado, onde o autor mistura suas impressões a respeito dos próprios personagens, e nos diz como eles acabam ganhando vida e traçando um rumo oposto ao que ele tinha programado para sua cria.

A salada de culturas que ele faz também é bem bacana! Tira um índio brasileiro de suas matas e o envia para Atlantida, para ajudar novos amigos a salvar seu mundo. Satiriza o governo, fazendo analogias com nosso querido país de forma leve e engraçada que somente os leitores adultos enxergam.

Gostei pra caramba! Mas já pesquisei na internet que este já é um livro de sebo, não é muito mais encontrado em livrarias. De qualquer forma, é uma boa dica, para lermos sozinhos ou com nossos filhos.

Autor: COSTA, MARCO TULIO
Editora: RECORD
Assunto: LITERATURA INFANTIL
ISBN: 9788501021311
Preço: 23,00

sexta-feira, 24 de julho de 2009

As boas mulheres da China

Contracapa:

"Entre 1989 e 1997, a jornalista Xinran entrevistou mulheres de diferentes idades e condições sociais, a fim de compreender a condição feminina na China moderna. Seu programa de rádio, 'Palavras na brisa noturna', discutia questões sobre as quais poucos ousavam falar, como vida íntima, violência familiar, opressão e homossexualismo. De forma cautelosa e paciente, Xinran colheu inúmeros relatos de mulheres em que predomina a memória da humilhação e do abandono - casamentos forçados, estupros, desilusões amorosas, miséria e preconceito. Nos relatos do livro, a autora possibilita a essas vozes antes silenciadas revelar provações, medos, esperança e uma capacidade de resistência que as permitiu se reerguer e sonhar em meio ao sofrimento extremo."

Eu digo que Xinran consegue fazer bem mais do que isso. Mais do que dar vozes a essas mulheres anônimas, ela nos toca o coração de forma única, nos faz refletir sobre nossas angústias e sofrimentos ocidentais, sobre diferenças culturais e nos proporciona uma viagem gigantesca a essa China tão peculiar.

Ela vai a povoados distantes da China moderna e ilustra a vida e o coração dessas mulheres, assim como o dela também, pois precisa se mudar para Londres, sozinha com seu filho, para poder publicar este livro, que na China seria proibido e ela presa.

Na primeira vez que o li, não havia uma única página que não me arrancasse lágrimas de dor e solidariedade.

Obrigada, Xinran, pela viagem mega-ultra-continental.

Autor: XINRAN
Assunto: CIÊNCIAS SOCIAIS - SOCIOLOGIA
ISBN: 9788535903263
Preço: 45,50

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Algumas frases literárias

"Quando sair daqui, vou levá-la comigo a toda parte, não terei vergonha de você. Não vou criticar seus vestidos, seus modos, seu linguajar, nem mesmo seus assobios. Com o tempo aprendi que o ciúme é sentimento para proclamar de peito aberto, no instante mesmo de sua origem. Porque ao nascer, ele é realmente um sentimento cortês, deve ser logo oferecido à mulher como uma rosa. Senão, no instante seguinte ele se fecha em repolho, e dentro todo o mal fermenta..."
Chico Buarque, Leite Derramado, páginas 61/62.

"Se você soubesse como gosto de suas cheganças, você chegaria correndo todo dia."
Leite Derramado, Chico Buarque.

Felizes são os pais. Insones,madrugadores, boêmios do leite quente dos filhos.
Felizes são os pais que não amam por amar, amam com violência e vontade, vencendo o cansaço, o sono e as dificuldades de estarem sozinhos.
Felizes são os pais sempre interrompidos pelos filhos pequenos bem na hora em que a preliminar aqueceu.
Felizes são os pais que insistem em recomeçar, quando a maioria das pessoas dormiria e desistiria....
Felizes são os pais que acumulam tesão e não deixam nenhuma região da pele sem a cortesia do beijo...
Sexo depois dos filhos, do livro "Canalha", página 58, Fabricio Carpinejar

"Felicidade deveria ser palpável. Uma coisa que pudesse segurar e pôr em algum lugar seguro, como uma caixa com tampa ou uma garrafa com rolha. E, mais tarde então, quando estivesse muito triste, que fosse possível tirar, olhar, sentir, cheirar e ser feliz novamente"
Victoria, Rosamunde Pilcher

"Eis um pequeno fato: Você vai morrer."
A menina que roubava livros

"Lembro-me de que, apesar das centenas de companheiros, me encontrava numa horrível solidão, e acabei, finalmente, por adaptar-me a essa solidão. Moralmente solitário, passava revista a toda minha vida passada; apercebia-me dos mais insignificantes pormenores de tudo; apreciava o meu passado, julgava-me a mim mesmo de maneira implacável e severa e havia até instantes em que dava graças ao destino por me ter deparado aquela solidão, sem a qual não me teria sido possível julgar-me a mim próprio, nem sequer chegar àquele severo exame da minha vida pretérita."
Memórias da Casa dos Mortos, Dostoiévski

“Havia padecido tanto que sua capacidade de sofrer se esgotara.”
O Amante de Lady Chatterley, David Herbert Lawrence

"São as nossas escolhas que revelam o que realmente somos, muito mais do que as nossas qualidades."
"É possível encontrar a felicidade mesmo nas horas mais sombrias, se lembrar de acender a luz."
"A verdade é uma coisa bela e terrível, por isso deve ser tratada com grande cautela."
Frases de Alvo Dumbledore, J. K. Rolling, Série Harry Potter

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Meus amigos

Meus amigos são meu esteio, minha vida.
Com eles me refaço, renasço, cada dia.
Eles são a família que escolhi para seguir comigo minha caminhada.
Amo tanto meus amigos que dói pensar em não estar mais com eles, um dia.

Amigos, aqui vai minha declaração de amor a vocês.

Vocês são um presente precioso, cada um com seu jeito, e amo cada jeito de vocês.
Estarei sempre presente em suas vidas, podem ter certeza.
Com vocês minha estrada é muito mais florida e feliz.

Meu amor por vocês é incondicional. Mesmo. E definitivo.

Um grande beijo cheio de amor, Rê

quinta-feira, 9 de julho de 2009

AGOSTO

Acabei de reler este extraordinário romance com pitadas de realidade. Mês de agosto, 1954, morte do Presidente Getúlio Vargas e vidas paralelas e entrelaçadas.
Rubem Fonseca é mestre nisso. Mistura tudo no mesmo caldeirão e a gente depois vê no que dá. Para mim, o personagem principal chama-se Comissário Mattos, um cara comum, cheio de problemas e conflitos, arrogante e autoritário e inacreditavelmente com uma alma boa e crente.
Como muitos livros que leio, este também me deu a sensação de poder ter tido mais páginas, para que todos os núcleos da história se fechassem adequadamente.
Alguns personagens ficaram no ar, sem fechamento. Acabamos o livro com o pensamento: Mas e o que aconteceu com fulano e com beltrano? Sempre fico me perguntando se isso é proposital, para deixar nossa imaginação vaguear junto com o autor, ou se é erro de continuísmo mesmo, ou melhor, de finalização.
De uma forma ou de outra, Agosto vale sempre a pena ser lido e relido. A palavra de Rubem Fonseca é maravilhosa e a literatura brasileira sempre nos deixa com aquela sensação de familiaridade, as ruas, os lugares conhecidos, é fascinante.
Autor: FONSECA, RUBEM
Assunto: LITERATURA BRASILEIRA
ISBN: 9788535906493
Preço R$ 23,00 (edição de bolso)

terça-feira, 7 de julho de 2009

Despoetizado

Eu gosto desta palavra.

Despoetizado: adj. que se despoetizou, que perdeu a poesia, o encanto, a elevação.

Mas............. (sempre tem um), não penso em perda de encanto nem de elevação. Sei, sei que é o significado da palavra, mas quando leio despoetizar, leio somente uma pequena falta de rebuscamento poético, nunca sem encanto.

Palavra é palavra. Ela já é encantamento, magia e elevação por si, na essência.

(Isso foi somente um passeio ao dicionário, coisa que adoro fazer - procurar por palavras interessantes, aleatoriamente)