sexta-feira, 19 de março de 2010

O velho e o mar

Monólogo ocorrido em pleno mar, numa canoa velha e gasta, como o próprio velho. Você sofre as dores dele, ele mesmo não se dando conta da aventura a que se lançou, sozinho.
Santiago, o velho, doce, puro, daqueles que enxergam a vida pelo seu lado mais belo.
Ele tinha um acompanhante, bem jovem, que foi proibido por seus pais de assistir o velho ao mar, também por motivo de pobreza, já que o velho estava passando por períodos de má sorte, sem conseguir trazer à beira nenhum peixe.
Ficamos com a sensação de "ah, se os pais do menino-jovem não tivessem feito essa proibição, se eles não o obrigassem a procurar outro pescador experiente para servir de assistente... ah, como eles são egoístas, tirando a única companhia do velho, que tanto já serviu a aldeia, etc.", mas logo percebemos que não é nada disso, que a necessidade tem dessas coisas, que não adianta julgar ninguém a partir de nosso próprio ponto de vista.
Milhares de lições. Todas com obrigação de serem refletidas, pelo menos.

Autor: HEMINGWAY, ERNEST
Tradutor: FERRO, FERNANDO DE CASTRO
Editora: BERTRAND BRASIL
Assunto: LITERATURA ESTRANGEIRA - ROMANCES
ISBN: 9788528607598
Preço: 31,00
Postar um comentário