quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Noites Brancas

Ah, Dostoiévski...
Imaginem a cena. No ano de 1848, Dostoiévski publica uma novela romântica, num período onde o romantismo era condenado entre os críticos da literatura russa. Ele consegue, em sua singela história de amor, reunir romance, drama, comédia, espírito aguçado, graça, paródia.
Nosso narrador se denomina um Sonhador, assim mesmo, com letra maiúscula. Homem absolutamente solitário e melancólico que passa algumas noites brancas, fenômeno que acontece nos verões de São Petersburgo, onde o sol não chega a se pôr de todo, na companhia de uma agradável donzela, por quem se apaixona perdidamente. Os dois personagens, absolutamente inteligentes e sensíveis, envolvem-se de forma distinta. Ela o vê como um querido amigo, um confidente, e ele, coitado, morre de amores.
O livro tem um desfecho dramático, sofrido, mas, como sempre, genial como seu criador.
Não sei... acredito que só deva ser permitido nascer criaturas como Dostoiévski a cada século, para que a humanidade sempre perceba a importância da literatura em nossas vidas.

Autor: DOSTOIEVSKI, FIODOR
Ilustrador: ABRAMO, LIVIO
Tradutor: SANTOS, NIVALDO DOS
Editora: EDITORA 34
Assunto: LITERATURA ESTRANGEIRA - ROMANCES
ISBN: 9788573263350
Preço: 27,00
Postar um comentário