terça-feira, 29 de março de 2011

Entre o Amor e o Medo

Recebi este vídeo por email, com um texto maravilhoso, não poderia deixar de compartilhar.

Entre o Amor e o Medo

Nesta semana circulou na internet um vídeo muito especial. Nele, um garoto, vietnamita ou chinês, aparece respondendo a perguntas de uma interlocutora que não vemos na tela. Aparentemente trata-se de uma reportagem feita com crianças de uma escola, sobre o amor.

Ele confessa a esta pessoa que gosta de uma menina, mas que prefere deixar este sentimento em segredo por que acha que se o mundo tomar conhecimento do que sente por ela, vai rir dele. E, ao ser indagado do porquê ririam dele, e afirmou: "ela não gosta de mim".

Em seguida, surge a garota. A mesma interlocutora pergunta a ela qual o nome do seu melhor amigo e ela cita o nome do garoto. Então, lhe é perguntado se ela tem um namorado, ela diz que sim, e o garoto ali ao lado, olhando ansiosamente para sua amada.

Quando perguntam à garota qual o nome de seu namorado, ela diz o nome dele, do menino. A expressão de felicidade no rosto dele é incrível, ele fica radiante ao descobrir que ela nutre por ele o mesmo sentimento.

O vídeo encerra com uma frase que diz mais ou menos assim: você pode escolher entre o amor e o medo. Ele mostra o quanto, desde muito cedo, desenvolvemos um dos sentimentos mais comuns entre os seres humanos, que é o medo de não ser amado, de não ser aceito como se é, de não conseguir o amor e a atenção de quem amamos.

Este medo, muitas vezes, nos leva a esconder nossos sentimentos e perder a oportunidade de conhecer a felicidade, simplesmente pelo receio de que nosso amor seja rejeitado.

Por que será que somos tão vulneráveis à rejeição de alguém? É claro que ao desejarmos uma pessoa, o ideal seria que ela também correspondesse aos nossos sentimentos.

Porém, quando isto não ocorre, certamente não é porque não temos nenhuma qualidade. O fato é que a atração entre as pessoas se dá por uma misteriosa força que a razão é incapaz de explicar.
Sendo assim, deveríamos -e alguns conseguem isto-, ter em mente que o melhor seria abrir o coração, deixar que a outra pessoa conheça o que sentimos.

Não deveríamos sentir vergonha de amar, mas, infelizmente, não é o que acontece para um grande número de pessoas. O ego as faz temer a rejeição, por se sentirem humilhadas quando o seu amor não é correspondido.

Mas a vida sempre nos surpreende quando aceitamos cada acontecimento como uma parte de nossa história, e não como algo definitivo. A rejeição de hoje, certamente se converterá em uma aceitação amanhã, desde que nos mantenhamos confiantes em nosso valor e absolutamente certos de que somos merecedores de amor.

Aprender a lidar com a frustração de nosso desejo, sem assumir o papel de vitima, ou de alguém inferior, é um dos maiores desafios no caminho do amadurecimento.

... Uma vez que você aceite a vida em sua totalidade, as coisas começam a acontecer, porque essa aceitação total libera-o de seu objetivo de ego. Sua meta de ego é o problema, por causa dele, você cria problemas. Não há problemas na vida em si; a existência é sem-problema.

Você é o problema e é o criador do problema e cria problemas a partir de tudo. Mesmo se você encontrar Deus, você criará problemas a partir dele. Mesmo que você chegue ao paraíso, você criará problemas a partir do paraíso - porque você é a fonte original dos problemas. Você não irá se entregar. Esse ego que não se entrega é a fonte de todos os problemas.

Osho, Vigyan Bhairav Tantra.


Postar um comentário