terça-feira, 31 de maio de 2011

O livreiro de Cabul

Relato íntimo da família de Sultan Khan, livreiro que passou a vida lutando para manter sua livraria e seus mais de 10 mil volumes sobre a história e literatura afegã. A autora norueguesa Asne Seierstad compôs com seriedade a vida dessa família.
Sultan Khan, que a princípio tinha autorizado o relato, não gostou do resultado final e chegou a processar a jornalista, mas o livro já era sucesso mundial. E não sem mérito. Ao contrário. Passeamos pela família, tão igual e tão diferente de tantas famílias afegãs.
A vida crua das mulheres, seus desejos íntimos mas jamais expostos, suas humilhações.
O tempo do livro é após a queda do Talibã, mas o povo não desarraiga com tanta facilidade. E a mulher segue sem a burca, porém coberta por dentro. Raras são as mulheres com fidúcia suficiente para romper barreiras. Para isso elas precisam de maridos ou protetores liberais, verdadeiramente, não apenas na aparência social.
Para se ter uma ideia, Sultan era um sujeito liberal. No entanto, ele, apesar de um letrado, apaixonado pela palavra, proíbe seus filhos, homens inclusive, de frequentarem a escola, concluírem seus estudos. Tudo pelo bem maior do comércio, da empresa, do sustento.
Cada relato árabe que nos cai em mãos temos a sensação de que as histórias são iguais, mas é o inverso. Cada vida é de uma riqueza interior sem fim.

Autor: SEIERSTAD, ASNE
Tradutor: SKEVIK, GRETE
Editora: RECORD
Assunto: COMUNICAÇÃO - JORNALISMO

ISBN: 9788501072870 
Autor: 42,90
Postar um comentário