sexta-feira, 30 de março de 2012

Casa do Editor

Ninguém melhor do que eles para explicar esse projeto tão especial. Parabéns aos editores pela iniciativa de disseminar leitura com mais facilidade a nós.


Quem somos

Este site é uma ferramenta de extrema ajuda ao Autor em sua difícil tarefa de publicar sua Obra. O objetivo da Casa do Editor é conectar o Autor com a Editora, facilitando, e muito, para ambos, a concretização de seus sonhos, ideais e realizações. Portanto, a Casa do Editor é uma vitrine para sua Obra, expondo-a aos Editores e intermediando o contato entre ambos.

O Autor, ao cadastrar sua Obra no Banco de Dados da Casa do Editor, estará disponibilizando-a a milhares de Editoras do Brasil e de Portugal (tal quantidade de Editoras é o nosso objetivo a ser atingido em curtíssimo prazo). Após cadastrar-se, o Autor irá informar o Gênero de sua Obra, bem como a Categoria de Gênero e suas Subcategorias, seu Resumo Biográfico, dentre outros dados, facilitando a localização de sua Obra pelas Editoras que publicam Obras do seu Gênero.

O Editor, ao cadastrar-se, gratuitamente, na Casa do Editor, terá em mãos uma poderosa ferramenta de Busca avançada que o ajudará em sua difícil tarefa de encontrar Obras que se enquadram em sua Linha Editorial (Gênero de Publicação). Ao pesquisar uma Obra por Gênero, por Categorias de Gênero e suas Subcategorias, em seus quatro níveis de pesquisa, o Portal Casa do Editor mostrará as Obras que realmente se enquadram em sua Linha Editorial, proporcionando economia de tempo e de dinheiro às Editoras.

Casa do Editor é uma ferramenta extremamente segura, útil e eficaz para Autores de todos os Gêneros literários existentes. É simples, fácil e barato fazer parte deste site, cujo objetivo é tornar-se o maior e melhor Portal do gênero no Brasil e no exterior.

São mais de 50 mil Categorias e Subcategorias de Gêneros literários. Nosso objetivo é ter no Banco de Dados da Casa do Editor mais de 100 mil Categorias e Subcategorias de Gêneros, pois o Autor, ao cadastrar sua Obra, se ela não se enquadrar em uma das Categorias de Gêneros e em suas Subcategorias, ele terá a liberdade de criar uma nova Categoria ou Subcategoria. Portanto, a Casa do Editor será um site inteligente, pois cada nova Categoria de Gênero e/ou Subcategoria inserida pelo Autor, ou pelo Editor, ela passa a fazer parte do Banco de Dados de Categorias de Gêneros da Casa do Editor.

Além de Autores e Editoras, o Distribuidor de livros e o Livreiro também terão acesso ao site. Ao cadastrar-se gratuitamente, o Distribuidor e o Livreiro estarão se mostrando às Editoras e aos Autores. As Editoras também terão acesso à relação de Distribuidores e Livreiros de todo o país.

Por um pequeno valor semestral ou anual, o Autor se conectará ao mundo editorial, ganhando tempo, economizando dinheiro e aumentando, em muito, suas chances de publicar sua Obra. Editoras, Distribuidores e Livreiros terão acesso gratuito à Casa do Editor.

Clique em Como Funciona e conheça o funcionamento deste site. Cadastre-se já e usufrua dos benefícios que a Casa do Editor lhe proporcionará!


Bem-vindo ao site Casa do Editor!

segunda-feira, 26 de março de 2012

Curial e Guelfa



Curial e Guelfa é uma das mais impressionantes e enigmáticas novelas da Idade Média. Escrita em catalão por um autor anônimo, mescla os ingredientes do romance e da aventura, o amor e os feitos de armas. Após numerosos sofrimentos e peregrinações pela geografia da Europa e do  Mediterrâneo  do  século  XV,  o  herói  epônimo,  Curial,  obtém  a  mão  de  sua  amada.

Ricardo  da  Costa  traduziu  essa  obra-prima  para  o português pela primeira vez, em um soberbo exemplo de tradução precisa e prosa de elevada qualidade estética. Antoni Ferrando, um dos maiores especialistas em literatura cavaleiresca e nas letras catalãs, prefaciou essa tradução e situou Curial e Guelfa em seu contexto literário e cultural.

Antonio Cortijo Ocaña (University of California) 
Diretor de eHumanista 


A Universidade da Califórnia lançou a primeira tradução feita para a língua portuguesa de “Curial e Guelfa”, anônimo romance de cavalaria escrito em catalão, na segunda metade do século XV, cerca de 100 anos antes do Dom Quixote, de Cervantes (1547-1616). “Curial e Guelfa” apresenta, por trás de um romance de amor entre os dois personagens do título (Curial, o cavaleiro pobre, e Guelfa, a princesa que o amava e o protegia) uma rica descrição da sociedade cavalheiresca de sua época, e mostra bem a passagem da Idade Média para o Renascimento. Dessa obra existe apenas um único manuscrito, encontrado em um arquivo espanhol, e que está sendo revalorizado nos últimos anos, com cuidadosas traduções, para os principais idiomas modernos, realizadas por especialistas de vários países europeus. No Brasil, “Curial e Guelfa”
ainda é desconhecida nos meios universitários, e essa publicação certamente abrirá novos campos de pesquisa para estudiosos de História e de Literatura.

A tradução, do catalão medieval para o português, era tarefa que apresentava inúmeras dificuldades linguísticas e metodológicas. Foi levada a bom termo pelo Prof. Dr. Ricardo da Costa, medievalista da UFES, acadêmico correspondente no exterior da Real Academia de Belas Letras de Barcelona e membro do IVITRA (Instituto Virtual Internacional de Tradução – Universidade de Alicante). Ricardo da Costa enriqueceu o trabalho com centenas de notas explicativas, indispensáveis para o leitor moderno poder
devidamente compreender e saborear o texto, que manteve rigorosa fidelidade em relação ao original catalão.

A edição já foi lançada nos Estados Unidos em um volume encadernado, com 512 páginas, e deve chegar ao Brasil nas próximas semanas.

Armando Alexandre dos Santos 

quarta-feira, 21 de março de 2012

Lançamento dia 21 de março - Travessa

Este promete, pelo que já percebi. Amanhã é seu lançamento, na Livraria da Travessa do Leblon/RJ, às 19 horas. Assim que recebê-lo, postarei para compartilhar com vocês. Abaixo sinopse da editora:

Uma história de amor, dor e culpa. A carioca Adriana Armony constrói, em Estranhos no aquário, um delicado romance sobre identidade e redenção. Sobre esquecimento e lembranças, correntes de um oceano que deixa os personagens à deriva. Prisioneiros de suas próprias limitações, arrependimentos e culpas. Uma vida interrompida. Um pai inconformado. A mãe, presa num presente perpétuo, onde o filho se repete indefinidamente. Igual e diferente. 

Fim de ano. O jovem estudante de filosofia Benjamin flagra a namorada e o melhor amigo na piscina da pousada em que se hospedavam. Dois estranhos no aquário, duas traições distintas. Desesperado, decide voltar ao Rio de Janeiro sozinho. Mas o retorno se torna uma alegoria. Ben nunca volta. Apesar de estar vivo, um acidente na estrada o deixa paralisado, e com o cérebro — e a memória — bastante comprometido.  

Segundo os médicos, a recuperação é possível. Mas demorada e incerta. A mãe, Júlia, usa a voz como o fio frágil que costura as recordações do rapaz. Ela fala sem parar, pois a cada 20 minutos, Ben esquece de tudo, mistura fatos passados com presente. Sua habilidade cognitiva também sofreu. Seu vocabulário ganha uma conotação quase poética, onde um sanduíche vira um prédio de pães. E um pão-de-queijo, uma almofadinha de sabor.

Em seu terceiro romance — no primeiro Adriana ficcionaliza um período da vida de Nelson Rodrigues e no segundo, as memórias da avó —, a autora conduz a trama com a segurança de escritora experiente, entrelaçando os capítulos num ziguezague narrativo, no qual o antes surge depois, o depois se expressa no durante, de sorte que a história de Benjamin, ao aflorar, traz à tona a história de seus pais. Estranhos no aquário é um romance denso, onde sentimentos e laços afetivos aparecem ora turvos ora límpidos, como um espelho d’água. 

Escolhido entre várias narrativas para a bolsa de literatura da Petrobras, o livro confirma, ainda, Adriana Armony como umas das escritoras mais versáteis de sua geração.

terça-feira, 6 de março de 2012

Os sonâmbulos

Romance policial de estreia de Paul Grossman. Se continuar assim, vai longe. História cheia de suspense onde, em 1932, período em que a ascensão do nazismo era inevitável, o detetive Willi, um judeu alemão, era aclamado e admirado por toda a Alemanha por sua inteligência perspicaz e rapidez na captura de criminosos. Willi se enreda em uma história sombria, cercada de crimes hediondos que envolve mutilação humana para experiências absurdas.

A investigação começa quando descobrem no leito de um rio o corpo de uma jovem que teve suas pernas mutiladas.

Quanto mais entra na história, mais difícil fica identificar os criminosos, que estão entre a elite médica alemã e o próprio governo. Willi envia sua família para outro país, pois sabe do risco que corre. Se apaixona por uma prostituta, que se arrisca com ele na aventura. No meio do furacão, um hipnotizador aparece para complicar ainda mais as coisas.

Romance, suspense, ficção policial, guerra. Tudo em um só lugar.
Ótimo livro.


Autor: GROSSMAN, PAUL
Tradutor: HIRATA, GENI
Capa: JULIO ZARTOS
Editora: ROCCO
Assunto: LITERATURA ESTRANGEIRA - FICÇÃO POLICIAL
ISBN: 9788532526847
Preço: 48,00