domingo, 15 de abril de 2012

O dono da Lua

Autores de livros infantis merecem todo respeito e reverência possíveis, na minha opinião. São eles que formam futuros leitores, são os responsáveis por aquela fisgada que um belo livro infantil, recheado de imaginação e mensagem, pega uma criança e, futuramente, um adulto.
Ao receber O dono da Lua, voltei à emoção infantil dessa maravilhosa fisgada, a começar pela linda e sensível dedicatória:
"Renata,
que ao olhar para o céu, à noite, você se lembre de Nick e de sua aventura em busca do dono da Lua."
Pronto. Minha imaginação voou pelo céu à procura da Lua e seus mistérios.

Nick, o pequeno curioso, um belo dia (ou noite) descobre que a Lua desapareceu do céu. Percebeu que não era época de Lua Nova e chegou à conclusão de que deveria ter acontecido algo sério com seu dono. Aí começa sua aventura na busca dessa pessoa que ele acreditava tomar conta da Lua e suas fases.
A primeira atitude de Nick foi procurar seu professor de Geografia, o qual ele considerava bastante inteligente. Mas o professor o decepcionou, com toda aquela conversa de que não existe um dono da Lua, todo aquele falatório sobre satélite, órbita, fases etc. Nick, então, parte sozinho em busca do dono da Lua.

Ronize Aline já começa o livro da melhor forma que um autor infantil pode começar. Com uma belíssima mensagem. Um pequeno trecho do início:

"Você já reparou como 'dono' é uma palavra feia? Significa que alguém tem a posse de alguma coisa e que, por causa disso, pode mandar nos outros.
Por exemplo, o dono da bola. Sem ele não tem jogo. Quando chega ao campo, vai logo dando ordem, escalando os times, mandando aqui, mandando acolá. E, se fica irritado, pega a bola e acaba na hora com a brincadeira, deixando todo mundo chupando dedo.
Mas há um caso pior: das pessoas que se consideram donas de coisas que não têm dono e que, por isso mesmo, pertencem a todos.
É o caso do dono do 'pedaço'. Esse pedaço pode ser a rua, o clube ou o parquinho da praça. Ali só entra quem ele quer."

O dono da Lua ainda tem outra importância mais que especial: as ilustrações de Martha Werneck. Martha consegue traduzir em lindas imagens cada sentimento de Ronize e Nick. Conclusão: perfeito casamento palavra-imagem. Que venham muitos sonhos, muitos céus e luas e crianças curiosas.

Belíssimo livro para crianças, bem como para a gente grande que ainda deseja sentir a tal fisgada infantil de um livro.


Autor: ALINE, RONIZE
Ilustrador: WERNECK, MARTHA
Editora: ESCRITA FINA
Assunto: INFANTO-JUVENIS - LITERATURA INFANTIL

ISBN: 9788563877468


28,00
Postar um comentário