segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Corda Bamba

Outra obra de tirar o fôlego. E o melhor: para crianças. Ou, se você preferir, para toda criança que existe em todos nós.

Maria é criada em um circo. Aos dez anos, após a morte de seus pais ela passa um tempo com Barbuda e Foguinho, seus protetores, mas precisa ir viver com sua avó materna, que ainda é viva e reclama a neta. Aparentemente, após perder seus pais, Maria não se lembra de nada; ficou com aquele vazio de memória que costumamos construir quando a dor aperta.

Então ela ganha uma corda do marido de sua avó. Fica superfeliz porque poderá matar a saudade do que fazia no circo. Sim, ela era equilibrista, assim como seus pais. Aquela arte que totalmente imita a vida, pois é assim que passamos por ela - nos equilibrando em uma corda fininha (vida) e buscando não cair com os obstáculos.

Assim Maria começa a viagem no passado e a busca das lembranças. Ela viaja mentalmente em sua corda bamba até um corredor cheio de portas e a cada dia abre uma, pinçando histórias e memórias até conseguir se lembrar de tudo e sem dor. Relembra seus pais, o circo, o acidente, a avó, tudo que apagou para se proteger. A escolha por retomar as lembranças é dela, o que é mais importante no processo.

E, no fim, quando as lembranças se esgotaram nas portas do corredor da sua alma, ela começa a arrumar cada cômodo, da melhor forma possível, e depois descobre uma porta nova, diferente. Quando abre, percebe que é a porta do futuro e das escolhas. E ela escolhe como quer viver a vida e como percorrerá esse longo caminho.



Autor: BOJUNGA, LYGIA
Editora: CASA LYGIA BOJUNGA
Assunto: INFANTO-JUVENIS - LITERATURA JUVENIL
28,00
Postar um comentário