sexta-feira, 25 de julho de 2014

Barca das letras

Queridos, divulgando esse trabalho maravilhoso (Pela querida Roberta Fraga):

Meu amigo Jonas Banhos está precisando de uma força ($$). Ela é o Palhaço Ribeirinho que leva alegria, livros, materiais e suportes para comunidades afastadas no norte e nordeste do país e também comunidades locais!
Vocês podem conferir o trabalho pelo perfil dele no Facebook e no www.barcadasletras.blogspot.com

Acontece que ele é servidor licenciado e os recursos que ele junta durante um ano para exercer a atividade junto às comunidades estão acabando.

Seja um investidor do Barca das Letras. Ajude quem ajuda o outro!

Quem quiser e puder!
Entre em contato diretamente com ele!

Quanto a mim, Roberta Fraga, continuo arrecadando livros (em bom estado de conservação) e materiais escolares (novos ou usados).

ligue para (61) 8167 1254 Tim Brasília ou
(91) 8968 1798 Tim Belém
barcadasletras@gmail.com
jonasbanhosap@gmail.com ou
@jonasbanhos (twitter)
https://www.facebook.com/pages/Barca-das-Letras-NossaCasa-de-Cultura-e-Cidadania/145617575484649
Jonas Banhos (facebook)
Idealizador e Cuidador Geral da Barca das Letras

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Ninguém faz ideia - palavracantada

E eles vêm com uma genialidade dessas! Música brasileira, só você consegue a riqueza em essência. :) Obrigada, Lenine / Ivan Santos.



Malucos e donas de casa
Vocês aí na porta do bar
os cães sem dono, os boiadeiros
as putas Babalorixás

Os gênios, os caminhoneiros
Os sem terra e sem teto, atores, maestros, djs
os undergrounds, os megastars, os rolling stones e o rei

ninguém faz ideia de quem vem lá, de quem vem lá,
de quem vem lá,
ninguém faz ideia de quem vem lá,

Ciganas e neo – nazistas, o bruxo, o mago pajé
os escritores de science fiction
quem diz e quem nega o que é
Os que fazem greve de fome
Bandidos, cientistas do espaço
os prêmios nobel da paz
o Dalai Lama, o Mister Bean, burros, intelectuais

Eu pensei: ninguém faz ideia de quem vem lá,
de quem vem lá, de quem vem lá,
ninguém faz ideia de quem vem lá,


Os líderes de última hora
os que são a bola da vez
os encanados, divertidos
os tais que traficam bebês
o que bebe e passa da conta
os do cyber espaço, a capa do mês da playboy
o novo membro da academia
e o mito que se auto destrói

Eu sei: ninguém faz ideia de quem vem lá, de quem vem lá,
de quem vem lá,
ninguém faz ideia de quem vem lá,


Os duros, os desclassificados, a vanguarda e quem fica pra trás
Os dorme sujos, os emergentes, os espiões industriais
os que catam restos de feira, milicos piratas da rede,
crianças excepcionais
Os exilados, os executivos, os clones e os originais

É a lei ninguém faz ideia de quem vem lá, de quem vem lá,
de quem vem lá,
ninguém faz ideia de quem vem lá,


Os anjos, os exterminadores
Os velhos jogando bilhar, o Vaticano, a CIA,
o boy que controla o radar, anarquistas,
Mercenários, quem é e quem fabrica notícia
quem crê na reencarnação, os clandestinos,
os ilegais, os gays, os chefes da nação
Ninguém faz ideia de quem vem lá.

sexta-feira, 18 de julho de 2014

O apartamento de baixo

Nara é uma garota de 22 anos, moradora de um bairro de classe média alta na zona sul do Rio de Janeiro, que sofre com um namoro falido. Sua mãe, preocupada com a saúde emocional da filha, torce para que o namoro tenha logo um fim. As esperas em vão na portaria do seu prédio a fazem descobrir que seu porteiro é um leitor ávido e possui em seu apartamento centenas de obras de literatura.
Nas reviravoltas que o mundo dá, Nara descobre os livros, o amor, a angústia que muitas vezes ele traz, a ânsia de descobrir nos livros a melhor forma de encontrá-lo.

Bárbara Caldas tem em seu livro de estreia o sucesso da palavra. Ganhou texto de Luis Fernando Veríssimo na orelha e concordo com ele em gênero, número e grau: "Um pequeno livro. Um grande começo."

Parabéns, Bárbara, sucesso nessa linda trajetória, de contar a vida, o cotidiano e a arte de viver nas páginas de um livro.

"- Como é triste a ignorância.
- Cuidado, já houve quem dissesse o contrário, que na ignorância se é feliz. - Nara escutava com as pupilas dilatadas. - Eu, humildemente, penso que tudo tem um preço."

Autor: CALDAS, BARBARA
Idioma: PORTUGUES
Editora: MAR DE IDEIAS
ISBN: 9788568079003

quarta-feira, 16 de julho de 2014

A culpa é das estrelas

Um livro juvenil com o peso de um drama daqueles. O best-seller da atualidade. Acho que isso diz bastante coisa a respeito da nova geração. Os jovens não compram mais os finais felizes como antigamente. Bom ou ruim? Não dá para saber, mas achei importante ler o livro que comecei a perceber que até pessoas do meu círculo que não leem o estavam devorando.

O autor consegue dar leveza à personagem principal, Hazel, que conta sua história de paciente terminal com o olhar adolescente que é. Sua vida dá uma reviravolta quando, ao comparecer muitíssimo a contragosto a um Grupo de Apoio a Crianças com Câncer por insistência de sua mãe, ela conhece Augustus Waters e os dois vivem o fim dessa história com parceria e aventura. Eles conseguem suavizar o drama na maior parte do tempo, deixando a dor que o câncer carrega para o tempo certo, na medida que deve ser vivido.

Alguns trechos:

"Faltando pouco para eu completar meu décimo sétimo ano de vida minha mãe resolveu que eu estava deprimida, provavelmente porque quase nunca saía de casa, passava horas na cama, lia o mesmo livro várias vezes, raramente comia e dedicava grande parte do meu abundante tempo livre pensando na morte."

“Aparentemente, o mundo não é uma fábrica de realização de desejos.”

"Não dá para escolher se você vai ou não vai se ferir neste mundo, meu velho, mas é possível escolher quem vai feri-lo."

Autor: GREEN, JOHN
Editora: INTRINSECA
ISBN: 9788580572261

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Melancia

Claire tem apenas 29 anos. Recém-mãe, recém-separada, recém-descobridora de uma traição absurda, entende que deve dar três passos para trás e se reavaliar, mas, antes disso, precisa ir ao fundo do poço, e encontrar a tal mola que dizem por aí existir lá embaixo.

A narrativa é em primeira pessoa, para que possamos entender a alma da mulher em momentos-limite. E Claire possui uma alma leve, inteligência aguçada e aquela sensibilidade instintiva da natureza feminina. Mas está doída, em carne viva, se sentindo uma verdadeira melancia por causa do pós-parto, e com um bebê para cuidar, sozinha. Nada fácil. Ela nos convoca a acompanhá-la em sua montanha-russa e entendendo por que as mulheres precisam ser tão resistentes e sensíveis. Porque é necessário. Porque sim, e pronto. Porque somos assim, graças.

É, sim, um desses livros que chamamos 'mulherzinha', em que mergulhamos no íntimo de Claire e nos identificamos, tendo passado pelo que ela passou, ou não.
Adorei.

Alguns trechos:

"Quem é o encarregado aqui? Gostaria de me queixar da minha vida. Claramente, pedi uma vida feliz, com um marido amoroso, para combinar com meu bebê recém-nascido, e que falsificação grotesca era aquela que me ofereciam?"

"Queria que minha vida fosse como um jogo de computador. Se tomar a decisão errada, perco uma vida. Se tomar a decisão certa, ganho pontos. Só queria saber. Só queria ter certeza."

"Soube então, que a vida não respeitava circunstâncias... A vida simplesmente vai em frente e faz o que tem vontade, sempre que tem vontade!"



ISBN: 9788528609165
Autor: KEYES, MARIAN
Editora: BERTRAND BRASIL