terça-feira, 25 de novembro de 2014

O paraíso são os outros

Uma menina extremamente inteligente e sensível extrai das suas leituras e observações questionamentos sobre relações, amor, solidão. Por que bichos e humanos precisam viver em casal? Por que existe todo tipo de casal? A menina brinca com sua imaginação a partir dos ensinamentos de sua mãe.
Valter Hugo Mãe se lança no universo infantil de uma garotinha, deixando seus pensamentos fluírem para dentro de nós, leitores. É um arrebatamento de sentidos, sentimentos e emoções, porém com questões e dúvidas de alguém que procura entender o que não se entende. Isso é processo de amadurecimento. Procurar saber os comos, os porquês, os quais é crescer maravilhosamente por dentro.

O livro ainda vem com a contribuição visual de Nuno Cais, artista plástico brasileiro que brinca com esse paraíso que é o outro, manipulando imagens para compor o texto do autor.

Gosto muito de encontrar trechos que me capturam nos livros que leio. Foi difícil esta tarefa em O paraíso são os outros; é tanta poesia e sensibilidade do início ao fim que o livro inteiro captura, mas vou tentar pegar os mais significativos.

"Os bichos só são feios se não entendermos seus padrões de beleza. Um pouco como as pessoas. Ser feio é complexo e pode ser apenas um problema de quem observa."

"Leio livros para aprender. Estou sempre apressada. Sou muito mexida. Um dia quero uma coisa, no outro quero tudo. Sofro de um problema de sossego. Não sei o que é estar sossegada. Mais tarde corrijo."

"As pessoas são tão diferentes. Aprecio muito que o sejam. Fico a pensar se me acharão diferente também. Adoraria que achassem. Ser tudo é igual é característica de azulejo na parede e, mesmo assim, há quem misture."

"A tristeza a gente respeita e, na primeira oportunidade deita fora. É como algo descartável. Precisamos usar mas não é bom ficar guardada."

Autor: MAE, VALTER HUGO
Ilustrador: CAIS, NINO
Editora: COSAC NAIFY
Postar um comentário