sexta-feira, 24 de abril de 2015

Morte Súbita

Por Bruna Bonfeld

Posso dizer que "Morte Súbita" é um dos livros mais tristes que já li e sinceramente esse é um desfecho pelo qual eu não estava esperando. 

J.K. Rowling, autora também da saga Harry Potter (e quem me conhece sabe que é a minha preferida) e dos romances policiais "O Chamado do Cuco" e o "Bicho da seda" (também fantásticos), mostra toda a sua versatilidade ao escrever Morte Súbita. 

A história se passa no vilarejo de Pagford, uma cidadezinha dentro de Yarvil, mas não submetida a ela. Entre esses dois locais há também o bairro de Fields, no qual reside a população mais pobre e carente. Após a morte de Barry Fairbrother, membro fundamental do conselho de Pagford e grande defensor de melhorias para os moradores de Fields (local onde ele próprio nasceu), todos no vilarejo de Pagford são atingidos direta ou indiretamente. A vida dos personagens se intercruzam e as faces da hipocrisia social ficam bastante evidentes. 

Barry Fairbrother morre de aneurisma (uma veia de seu cérebro é rompida) subitamente, deixando até mesmo seus inimigos políticos desamparados. 

Vencer o início um tanto cansativo do livro, no qual você se vê enredado em questões de picuinhas sociais muito enraizadas, é essencial para descobrir um livro sensível e um enredo surpreendente.
Terminei o livro com aquela sensação de pesar e tristeza, mas também de felicidade ao me deparar com uma literatura tão envolvente.
Super indico! Nota 10! Emoticon smile

PS: Destaque para os personagens Khristal Weedon, adolescente e para seu irmão Robbie Weedon. Extremamente pobres, filhos de uma mãe viciada em heroína, Khristal para mim ganha destaque na sua luta comovente para ficar com o irmão de 3 anos Robbie, que é classificado como "criança em situação de risco" pelo Serviço Social de Pagford. Eles também são profundamente atingidos pela morte de Barry Fairbrother, por Barry ter sempre vontade de ajudar Khristal que também veio de Fields, mesmo bairro pobre que ele. Poderia escrever linhas e linhas sobre essa personagem maravilhosa, cheia de defeitos, mas honesta, batalhadora, sensível e inspiradora que é Khristal, mas como o livro tem diversos personagens com complexidades muito grandes, me resumo a essas poucas palavras e também para que quem for ler o livro consiga descobri-la aos poucos, como eu fiz.

Autor: ROWLING, J. K.
Editora: NOVA FRONTEIRA
Assunto: Literatura Internacional - Romances
Postar um comentário