domingo, 19 de maio de 2013

Sobre a beleza

Howard Belsey e Monty Kipps são professores de uma universidade de Wellington, pequena (e universitária) cidade e, por causa de ideologias contrárias - Howard, um liberal confesso se digladia em debates intelectuais com o conservador Monty - transformam suas famílias em rivais, até que a vida e seus estranhos caminhos os separem (ou não).

Howard é casado com Kiki, enfermeira afro-americana, e tem três filhos (Jerome, Zora e Levi) com ela. Cada um absorve da maneira que pode os conflitos que atravessam suas vidas. Jerome, o primogênito, se muda temporariamente para a Inglaterra após um furacão aparecer de surpresa em sua casa: o romance de seu pai com outra professora, também casada. Howard e Kiki tentam superar a crise que se instalou e seguir em frente.

Mas a vida tem dessas coisas... Jerome se apaixona pela filha de Monty, Kiki se envolve em uma amizade controversa com a conservadora sra. Kipps e Zora se vê em um conflito interno ao se perceber admiradora intelectual da ex-amante do pai, sua professora de literatura.

Um romance cheio de meandros e conflitos íntimos. A autora inglesa Zadie Smith reúne parte das mazelas e grandezas humanas em um canto do nosso mundo. Ela solidifica a realidade humana e, especialmente, familiar, de maneira crua e sem desvios.

"Howard supunha que sua presença era constrangedora para o filho. A vergonha parecia ser a herança masculina na linhagem dos Belsey. Como Howard achava a presença de seu pai excruciante quando tinha a mesma idade! Desejava alguém que não fosse um açougueiro, alguém que usasse o cérebro no trabalho em vez de facas e balanças - alguém mais parecido com o homem que Howard era hoje. Mas você muda e os filhos também mudam. Será que Levi preferiria um açougueiro?"


Autor: SMITH, ZADIE
Editora: COMPANHIA DAS LETRAS
Assunto: LITERATURA ESTRANGEIRA - ROMANCES

terça-feira, 7 de maio de 2013

Palavras

E quando tudo fica muito confuso, lá vem ele e nos permite essas tais Outras Palavras...



Outras Palavras (Caetano Veloso)

Nada dessa cica de palavra triste em mim na boca
Travo, trava mãe e papai, alma buena, dicha louca
Neca desse sono de nunca jamais nem never more
Sim, dizer que sim pra Cilu, pra Dedé, pra Dadi e Dó
Crista do desejo o destino deslinda-se em beleza:
Outras palavras

Tudo seu azul, tudo céu, tudo azul e furta-cor
Tudo meu amor, tudo mel, tudo amor e ouro e sol
Na televisão, na palavra, no átimo, no chão
Quero essa mulher solamente pra mim, mais, muito mais
Rima, pra que faz tanto, mas tudo dor, amor e gozo:
Outras palavras

Nem vem que não tem, vem que tem coração, tamanho trem
Como na palavra, palavra, a palavra estou em mim
E fora de mim
quando você parece que não dá
Você diz que diz em silêncio o que eu não desejo ouvir
Tem me feito muito infeliz mas agora minha filha:
Outras palavras

Quase João, Gil, Ben, muito bem mas barroco como eu
Cérebro, máquina, palavras, sentidos, corações
Hiperestesia, Buarque, voilá, tu sais de cor
Tinjo-me romântico mas sou vadio computador
Só que sofri tanto que grita porém daqui pra a frente:
Outras palavras

Parafins, gatins, alphaluz, sexonhei da guerrapaz
Ouraxé, palávoras, driz, okê, cris, espacial
Projeitinho, imanso, ciumortevida, vivavid
Lambetelho, frúturo, orgasmaravalha-me Logun
Homenina nel paraís de felicidadania:
Outras palavras